Hábitos a serem evitados em tempo de coronavírus

Hábitos a serem evitados em tempo de coronavírus

O novo coronavírus se espalha cada vez mais pelo mundo e já chegou ao Brasil. A epidemia requer um cuidado redobrado com a higiene e evitar hábitos simples podem garantir uma segurança maior contra o vírus.

Em geral, a transmissão ocorre por meio das gotículas de saliva, espirro, contato pessoal próximo ou contato com superfícies contaminadas. Neste caso, o simples ato de cumprimentar já pode ser um problema. O ideal é evitar os dois (ou três beijinhos) típicos brasileiros. Muitas igrejas brasileiras, inclusive, orientaram os fiéis a não fazerem mais o cumprimento de aperto de mão durante as missas/cultos. 

Tocar o rosto com frequência também é prejudicial. Recentemente uma pesquisa australiana descobriu que uma pessoa toca o rosto, em média, 23 vezes por hora. Nesses toques, 36% são na boca, 31% no nariz e 27% nos olhos. Com as mãos contaminadas por conta de superfícies, o vírus entra facilmente no corpo por esses canais.

Outro hábito que muitas vezes é automático é cobrir a boca ou o nariz com a mão durante uma tosse ou espirro. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o ideal é cobrir com um lenço descartável e jogá-lo fora em seguida. Se não for possível, a outra maneira é dobrar o braço e espirrar no cotovelo.

Aglomeração de pessoas é outra coisa que facilita a propagação do vírus. Neste caso, evite concentração de pessoas em locais fechados, além do contato físico. A OMS também recomenda a distância de um metro entre as pessoas.

A prática de compartilhar itens pessoais como copos, pratos, talheres, bem como toalhas, deve ser evitada. De acordo com estudos da OMS, o vírus pode sobreviver em superfícies por algumas horas ou, até mesmo, vários dias. Varia de acordo com as condições do local, do clima e da umidade do ambiente.

Outras informações importantes

É importante ressaltar algumas informações que o Ministério da Saúde divulga, principalmente para evitar fake news. O período de incubação do coronavírus é de 2 a 14 dias, ou seja, o tempo que leva para os primeiros sintomas aparecerem.

Já os sintomas são similares a de uma gripe comum: tosse (seca ou com secreção); febre acima de 37º; dores no corpo; congestionamento nasal; inflamação na garganta. Nos casos mais graves, há dificuldade respiratória aguda e insuficiência renal. 

Além de evitar certos hábitos, o Ministério da Saúde orienta lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool 70%. Os objetos e superfícies também devem ser limpos com frequência, como celulares, mesas e canetas. 

Se você teve contato com alguém que viajou recentemente para países em que o surto é maior, como China e Itália, fique atento aos sintomas. Se surgirem, procure uma unidade de atendimento médico e informe que houve contato recente com alguém que esteve fora. 

Tags: qualidadedevida saúde

Veja mais